• Segunda-feira , 10 Agosto 2020

Bachelet horrorizada com escalada da crise humanitária no noroeste da Síria

Esta postagem foi publicada em 18 de Fevereiro de 2020

Última atualização: 20:05

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Unicef/Forat Abdoullah

As Nações Unidas classificaram a situação dos civis sob fogo cruzado no noroeste da Síria como uma “crueldade inacreditável”.

Em comunicado, a alta comissária de direitos humanos da organização, Michelle Bachelet, mostrou-se horrorizada com a escala da crise humanitária em cidades como Alepo e Idlib.

Desde janeiro, 299 sírios foram mortos na ofensiva às áreas chaves de Idlib e Alepo. E 93% dessas mortes ocorreram pelas mãos do governo e de seus aliados.

A violência também atingiu 10 postos médicos e 19 estabelecimentos de ensino, que foram alvos diretos dos ataques.

O Escritório de Direitos Humanos também documentou vários ataques em acampamentos de deslocados pela violência. Michelle Bachelet acredita que mais pessoas possam morrer com a continuação da ofensiva.

Para escapar dos bombardeios, muitos sírios decidiram tomar a estrada a pé embaixo de temperaturas negativas.

A alta comissária pediu ao governo sírio e aos aliados do regime do presidente Bashar al-Assad que abra corredores humanitários permitindo a passagem segura dos civis.  Ela pediu ainda acesso, assistência e proteção para todas as partes.

Bachelet contou que o desrespeito pela vida e pela proteção dos civis infringe a lei humanitária internacional e os direitos humanos.

Ela afirmou que está alarmada com a falha da diplomacia que deveria colocar a proteção das pessoas à frente de qualquer vitória política ou militar.

Em comunicado separado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, afirmou que mais de 500 mil crianças no noroeste da Síria estão sendo forçadas a fugir, somente desde dezembro do ano passado.

Fonte: UN NEWS

Veja Também

Expediente - Quem Somos - Publicidade - Fale Conosco
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×